Como estudar para o ENEM em pouco tempo?

Afinal, é possível estudar para o ENEM em tão pouco tempo?

Parece impossível, mas não é. Também não é passe de mágica: o segredo é organização. Boa parte dos candidatos aprovados para as principais universidades do país começou a estudar às vésperas: uns porque haviam desistido e resolveram retomar o sonho; outros porque só na reta final conseguiram tempo; muitos por falta de organização pessoal. Não importa, para você que quer saber como estudar para o ENEM em 3 meses, o importante é entender que ainda dá tempo e o seu maior amigo pode estar bem perto de você, a internet.

De acordo com Maria Inês Fini, presidente do Inep – órgão do Ministério da Educação responsável pelo Enem – a edição de 2018 do Exame Nacional do Ensino Médio dará mais ênfase às questões das disciplinas de português e matemática.  

Neste momento, é muito importante você se conhecer. Caso já tenha uma base, já pode ir às revisões e aos exercícios. Caso se ache muito “out” em tudo que se refere ao ENEM, o segredo é equilibrar teoria básica e conteúdo do exame com muitos exercícios e provas anteriores. Vamos entender melhor?

O que é conteúdo básico?

Se você, que precisa entender como estudar para o ENEM em pouco tempo, tem algum tipo de lacuna em alguns assuntos do Ensino Fundamental, é muito importante não se enganar. Portanto, arregace as mangas e reserve ao menos um dia por semana para estudar os tópicos que podem até não cair, mas farão você entender o que cai muito mais rápido. O curso preparatório ProEnem, por exemplo, disponibiliza, além do conteúdo da prova, aulas de matemática básica, redação básica, física básica, entre outros. De acordo com o coordenador Pedagógico do curso, Professor Diego Viug, o “Matemática sem mistério” (estudo básico), por exemplo, faz com que os alunos aprendam não só melhor como muito mais rápido os tópicos que são cobrados no ENEM.

O que é o conteúdo do Exame?

O INEP disponibiliza no manual do participante o conteúdo programático do que é cobrado no ENEM. Nem tudo que está ali cai, por isso é muito importante o contato com professores e candidatos mais experientes, no sentido de filtrar o que realmente apresenta maior possibilidade de ser cobrado na hora da prova. Lembre-se de que, neste momento, você precisa de estratégias para fazer o tempo trabalhar a seu favor. O desafio não é descobrir como estudar para o ENEM em pouco tempo, mas organizar seu conteúdo da forma correta e seguir à risca o que você propuser a si mesmo.

Como assim exercícios e provas anteriores?

A banca do ENEM tem mudado ano a ano. As novidades vêm sendo percebidas não só por meio dos textos pontuados com nota 1000 como pelas mudanças nos enunciados das questões de muitas áreas de conhecimento. Portanto, se você quer saber como estudar para o ENEM em pouco tempo, é necessário basear-se não apenas nas provas anteriores como em questões de vestibulares. Isso para que não se vicie nos modelos de questão e acabe eventualmente surpreendido com possíveis modificações.

Como se organizar?

1º – Prepare uma lista de conteúdo do que mais caem no ENEM.

2º – Use esta lista para identificar aquilo que precisará de revisão do “conteúdo básico”.

3º – A partir das duas listas anteriores, elabore a lista de exercícios e provas anteriores que você vai resolver.

4º – Divida tudo pela quantidade de dias ou de semanas até chegar uma data específica, que deve ser uma semana antes da primeira prova. A última semana é fundamental ser dedicada a revisões.

Ufa! Parece trabalhoso, né? Muita gente acha, por isso cada vez mais os candidatos têm aderido aos cursos online que já apresentam todo esse planejamento pesquisado, organizado e sugerido aos alunos.

Solução

O desafio é grande. Muitos conseguem, mas, para isso, os alunos têm recorrido à ajuda especializada. De acordo com Roberto Gonçalves, Diretor dos cursos ProEnem e do ProMilitares: Para conseguir o melhor dos candidatos em tão pouco tempo, o diferencial tem sido o “plano de estudos”.  

Se a pergunta é como estudar para o ENEM em pouco tempo, a resposta está no tempo e na quantidade de matéria a ser absorvida.  “Tanto as provas civis quanto militares partem de conteúdos programáticos publicados em editais, mas é o modo de abordar esses conteúdos, com cronograma organizado e professores experientes nas avaliações anteriores, que nos fez conseguir tantos bons resultados nos últimos anos”, explica o diretor, responsável por mais de 2 mil aprovações só no ProMilitares, nos últimos três anos, sem contar inúmeros aprovados para o ENEM.

As provas do ENEM em 2018 acontecem nos dias 4 e 11 de novembro. O prazo para recursos vai de 11 a 16 de novembro. Existe também um outro ENEM, para os privados de liberdade (PPL). Este acontece nos dias 18 e 19 de dezembro.

Se você fizer o ENEM valendo, seu resultado sai em 17 de janeiro de 2019, mas se fizer como treineiro, sua nota será divulgada só em março do próximo ano.

O que cai no ENEM em Filosofia

A filosofia no ENEM, como é?

Com a prova do Enem chegando cada vez mais perto, é comum que todo mundo comece a buscar estratégias para otimizar o tempo de estudo. Cada instante é precioso, e estudar as matérias partindo de um ponto objetivo é muito importante. Para ajudar você, vamos direto ao ponto, respondendo ao seguinte questionamento: O que cai no Enem em Filosofia?

imagem-sobre-filosofia-Se-penso-logo-existo-mas-sera-que-realmente-existo
Penso logo existo, mas será que realmente existo? Filosofia para o ENEM

Analisando as questões que caíram nas provas dos últimos anos, vemos que os temas relacionados à Filosofia Antiga e Moderna são os mais comuns. Além desses, também temos os debates da Filosofia Contemporânea, que muitas vezes são trazidos junto com outros assuntos, tais como os fundamentos da cidadania e da democracia.

debate-filosofico-os-fins-justificam-os-meios
Debate Filosófico: Os fins justificam os meios

Vamos fazer uma revisão rápida do que cai no Enem em Filosofia, considerando esses temas e lembrando que eles sempre estarão interligados. Em Ciências Humanas, a nossa abordagem é sempre cumulativaIsso quer dizer que os conhecimentos vão sempre se sobrepondo uns aos outros. Assim, não excluímos aquilo que foi produzido em períodos anteriores, mas usamos como base para continuarmos nos desenvolvendo e aperfeiçoando.

A importância da Filosofia Antiga e da dúvida: Só sei que nada sei?

Pensando sobre o que cai no Enem em Filosofia, vemos que Sócrates é um dos filósofos que, junto com Platão e Aristóteles, forma a base da filosofia ocidental; por isso, é também figurinha certa nas questões. Esses três são nossos autores fundamentais, portanto, devemos ter suas principais contribuições sempre na ponta da língua, já que serão sempre muito cobradas. Da mesma forma, os pensadores que vieram antes deles também têm muita importância para nós, afinal, foi a partir da base estabelecida por eles que Sócrates conseguiu consolidar definitivamente a Filosofia como um campo de conhecimento reconhecido. Esses autores Pré-Socráticos são os responsáveis pela grande mudança que se observou naquele período, século VI antes de Cristo, quando a busca por explicações com base racional para as questões da vida dos indivíduos passou a superar as narrativas míticas que havia nessa época.

Filosofia Socratica
Filosofia Socratica

Por isso, é sempre muito importante ficar ligado na sequência em que os pensamentos foram sendo desenvolvidos. Saber a importância das contribuições dos Pré-Socráticos, como elas se deram e quais foram os principais pensadores desse período, facilita bastante o entendimento sobre Platão. Não se esqueça de que Platão foi discípulo de Sócrates e o responsável por sistematizar suas reflexões.

Se liga no vídeo do Leandro Vieira, falando sobre a importância de Sócrates no desenvolvimento da filosofia:

Na prova do Enem é comum vermos questões que relacionam diferentes períodos e pensadores, por isso é importante ter domínio e clareza sobre os aspectos de cada um deles. Platão, Aristóteles e os demais autores da Filosofia Antiga são muito cobrados em questões temáticas, em que são abordados debates sobre moral, ética, lógica, estética, metafísica e política. Da mesma forma, a Filosofia Helenística e as demais escolas de pensamento são bastante mobilizadas nas questões para tratar de temas específicos, como o poder e as definições gerais sobre o que é a Filosofia.

Não basta só saber o que cai no Enem em Filosofia, mas como cai, não é mesmo? Olha só, na prova, como o tema é abordado:

A filosofia grega parece começar com uma ideia absurda, com a proposição: a água é a origem e a matriz de todas as coisas. Será mesmo necessário deter-nos nela e levá-la a sério? Sim, e por três razões: em primeiro lugar, porque essa proposição enuncia algo sobre a origem das coisas; em segundo lugar, porque o faz sem imagem e fabulação; e, enfim, em terceiro lugar, porque nela, embora apenas em estado de crisálida, está contido o pensamento: Tudo é um.

 

NIETZSCHE, F. Crítica moderna. In: Os pré-socráticos. São Paulo: Nova Cultural, 1999.

O que, de acordo com Nietzsche, caracteriza o surgimento da filosofia entre os gregos?

  1. O impulso para transformar, mediante justificativas, os elementos sensíveis em verdades racionais.
  2. O desejo de explicar, usando metáforas, a origem dos seres e das coisas.
  3. A necessidade de buscar, de forma racional, a causa primeira das coisas existentes.
  4. A ambição de expor, de maneira metódica, as diferenças entre as coisas.
  5. A tentativa de justificar, a partir de elementos empíricos, o que existe no real.

Gabarito: Questão C

Nietzsche faz referência ao surgimento da filosofia através dos pré-socráticos que buscavam na natureza (physis) uma justificativa racional para a origem de tudo. Inicialmente, encontravam um elemento essencial (arché) como solução primordial.

 

Por que a Filosofia Moderna é tão cobrada no Enem?

Depois dos temas de Filosofia Antiga, os assuntos ligados à Filosofia Moderna são os que mais caem no Enem. Nessa época, temos uma grande mudança que se dá com o fim do período Medieval, o qual foi marcado pelo domínio da Igreja Católica e o desenvolvimento da Patrística e da Escolástica, duas de suas principais escolas filosóficas.

A partir do século XV até o XIX, ocorre uma grande transformação no modo como se pensava a Filosofia até então. Esse período é muito rico e extenso, por isso tão recorrente nas provas do Enem. Renascimento, Empirismo, Iluminismo, e as correntes e escolas filosóficas da França e Alemanha são contempladas nesse período. Assim, é importante ficar ligado nesses pontos e sempre levar em conta as transformações trazidas pelo contratualismo, que moldou as bases da vida política moderna e contemporânea.

Filósofos contratualistas. Quer ficar mais por dentro do assunto? Neste vídeo Leandro Vieira vai discutir de forma leve e descontraída as principais ideias desses pensadores:

Bem, estes são os os pontos chave de tudo o que cai no Enem em Filosofia. É importante fazer aquela revisão, retomar todos os conhecimentos acumulados, e manter o foco nesses pontos destacados aqui. A leitura constante, a associação entre os períodos históricos e os filósofos, e a relação disso com a formação de escolas de pensamento, facilitam muito o conteúdo. Além disso, não deixem de procurar e desenvolver questões variadas, que tenham sido cobradas em provas anteriores. Isso reforça a atenção e ajuda na fixação dos conhecimento.  Bons estudos, e vamos seguir reflexivos!

Como funciona o Enem?

Calma, você vai entender como o ENEM funciona

Olá! Se você é vestibulando e tem pouca ideia do que seja o Exame Nacional do Ensino Médio, saiba que você não é o único e foi justamente por isso que estamos aqui. Vem comigo e vamos desvendar todos os mistérios sobre o Enem!

Segundo o Ministério da Educação, o Exame Nacional do Ensino Médio, foi criado em 1998 com o objetivo de avaliar o (a) estudante no fim da sua fase de escolaridade básica. Porém, atualmente, é utilizado por mais de 500 universidades como um critério para ingressar no ensino superior. O exame substitui o vestibular de algumas universidades públicas e privadas, além de oferecer vagas em alguns cursos técnicos através do PRONATEC. Ficou curioso para saber como funciona o Enem de maneira mais detalhada? A seguir vamos responder as perguntas mais recorrentes sobre o tema:.

Como funciona a prova do Enem?

A prova do Enem é constituída por uma redação e duas provas objetivas, cada uma com 90 questões dos seguintes eixos temáticos:

  • 45 questões de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias;
  • 45 questões de Ciências Humanas e suas Tecnologias;
  • 45 questões de Ciências da Natureza e suas Tecnologias;
  • 45  questões de Matemática e suas Tecnologias.

Atualmente, a prova é dividida em dois domingos consecutivos: no primeiro dia, a prova é dividida entre Redação; Linguagens; Códigos e suas Tecnologias;  Matemática e suas tecnologias. Parece muita coisa, mas esse dia conta com 30 minutos a mais para a realização do exame. No segundo dia, a prova conta com 90 questões de Ciências Humanas e suas tecnologias; e Ciências da Natureza e suas tecnologias, portanto, no primeiro dia, a avaliação deve ser realizada em 5 horas e meia no segundo em 5 horas.

O que devo fazer com a nota do Enem?

Sabendo como funciona o Enem, você estará mais preparado para entender o que fazer com a nota do Enem. Assim, poderá ingressar em uma universidade pública através do SISU ou privada com o PROUNI ou FIES, e ainda quem sabe, ingressar em uma universidade portuguesa com a sua nota no exame.

  • O Sistema de Seleção Unificada (SISU) foi criado pelo Ministério da Educação para selecionar alunos(as) para ocupar vagas nas instituições públicas utilizando a nota do Enem
  • O Programa Universidade para Todos (PROUNI) é destinado para concessão de bolsas para o ensino superior privado, as bolsas podem ser do valor integral ou parcial, isso depende da sua nota no Enem. Ademais, é importante lembrar que o PROUNI só é válido para alunos de escola pública ou bolsistas.
  • O Financiamento Estudantil (FIES) tem o intuito de custear o ensino superior privado, com parcelamentos do valor da mensalidade da Universidade a longo prazo.

todos-processos-seletivos-que-usam-o-enem

Fonte: https://ativafm.net/index.php/2017/01/18/confira-as-datas-do-sisu-prouni-e-fies-processos-seletivos-que-usam-o-enem/

Quem pode participar das ações afirmativas do Enem?

Existem vários tipos de ação afirmativa envolvendo a avaliação Nacional do Ensino Médio. O objetivo é promover a igualdade social. Vamos entender quem tem direito a essas práticas:

1 – Candidatos com renda familiar bruta (por pessoa) igual ou inferior a 1,5 salário mínimo que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012). 

2 – Candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, com renda familiar bruta por pessoa igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).

3 – Candidatos que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).

4 – Candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas que, independentemente da renda (art. 14, II, Portaria Normativa nº 18/2012), tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas (Lei nº 12.711/2012).

Afinal, quem pode fazer a prova do Enem?

O Enem é uma prova inclusiva, portanto, TODOS(AS) podem participar do exame. Independente da idade, escolaridade – pois existe a opção treineiro -, ou limitação física. O Inep disponibilizou recentemente no seu site informações relativas a quem pode realizar a prova. Portanto, se você se enquadra em algum caso específico listado abaixo, não se preocupe, a prova também é feita pra você!

  • Autismo
  • Baixa visão
  • Cegueira
  • Deficiência auditiva
  • Deficiência física
  • Deficiência intelectual (mental)
  • Déficit de atenção
  • Discalculia
  • Dislexia
  • Surdez
  • Surdocegueira
  • Visão Monocular
  • Gestante
  • Idoso
  • Lactante
  • Estudante em Classe Hospitalar
  • Outra Situação Específica

Fonte: https://enem.inep.gov.br/#/antes?_k=1rde0y

Mas como funciona o ENEM para quem precisa de atendimento diferenciado?

Relax. Se for necessário atendimento especializado é só enviar um laudo médico através da área do inscrito e acompanhar se sua solicitação foi aceita. Uma observação importante: se o laudo médico foi enviado e solicitado em 2017, nos próximos exames ele será valido, caso solicite mesmo tipo de atendimento.

Pronto. Agora que você sabe como funciona o Enem, que tal começar a se preparar para o exame? O Primeiro passo é pensar num plano de estudos. O ProEnem, além de apresentar toda a matéria e oferecer redação corrigida e comentada, orienta seu alunos com monitoria coaching e um plano de estudos bem organizado.

Como será o ENEM em 2018
Como será o ENEM 2018, segundo o portal do ENEM.
Fonte: http://aquiraz.ce.leg.br/institucional/noticias/veja-como-sera-o-enem-2018/image/image_view_fullscreen

O que cai no ENEM em Química

Falta pouco para o ENEM. Deu até um arrepio na espinha, né? A tão esperada prova, a que nos dedicamos durante o ano inteiro se aproxima, e, em algum momento, você pode ter pensado: e a Química? O que cai no ENEM em Química? Olha, você que não me responda, lágrimas, hein?

E não, mesmo! Chegou a hora de falarmos um pouquinho sobre a prova de Química no ENEM, pensarmos em tudo que estudamos até aqui – a fim de identificarmos com que temos mais facilidade – e no que precisamos dar aquela boa e velha revisada.

Veja também, uma aula completa de sobre o que cai em Química no ENEM

Nesse artigo, vamos focar nos três grandes blocos que mais caem no ENEM: Química geral, Físico-química e Química orgânica. Vamos comigo?

As áreas da Química que mais dão as caras pelo ENEM:

O que cai no ENEM em Química Geral: essa belezura é a parte da Química em que estudamos as quatro principais funções inorgânicas, sendo elas os ácidos, as bases, os sais e os óxidos. Aqui, é interessante estar bem firme na nomenclatura, bem como na determinação de fórmulas. Mas atenção! Para isso, precisamos já estar dominando número de oxidação (conhecido pelos mais íntimos como nox).

Nesta parte da Química, estudamos também a estequiometria. Aposto que você gelou ao ler essa palavra, né? Mas esse tópico é de extrema importância para o ENEM. Passa ano, entra ano, lá está aquela questãozinha de estequiometria para contar história. A estequiometria é a parte da Química em que relacionamos as substâncias umas com as outras, a partir de suas reações químicas. Nela podemos relacionar massa, volume (dentro e fora das CNTP), quantidade de matéria (número de mol)… e também nos deparamos com questões envolvendo rendimento, pureza e reações consecutivas. Bem extenso, né? A notícia boa é que de um tema para outro, poucas coisas mudam e, na medida em que vamos estudando, nos sentimos mais confiantes. Acredite! Segue o passo a passo: montar a equação corretamente balanceada, identificar as substâncias envolvidas na questão e montar a regra de três! Não tem erro!

Para finalizar, temos outro tópico importante: separação de misturas. Lembra comigo: são os processos que permitem separar os componentes de soluções homogêneas (através de métodos físicos) e heterogêneas (através de métodos mecânicos)!

Por que estequiometria é tão importante?

É importante ser apto a determinar a fórmula das funções, pois em estequiometria é necessário, muitas vezes, montar reações químicas para solucionar o problema. E para montar essas reações, precisamos da fórmula correta das suas substâncias, não é mesmo? Além disso, óxidos como CO2, NO2, SO2 e SO3 são bastante recorrentes no que tange a discussão sobre os problemas ambientais, como os principais gases do efeito estufa, a acidificação dos oceanos, e a chuva ácida, que além de óxidos, ainda trabalha um pouquinho a parte de ácidos, bem como problemas decorrentes da mesma, como a acidificação do solo. Na parte de separação de misturas, é muito comum relacionar com fatos do nosso cotidiano. A água que utilizamos nas nossas casas, por exemplo, passa por um longo e complexo processo de separação de misturas.

O que cai no ENEM em Química Orgânica: amada por uns, odiada por outros, a Química orgânica, parte da Química que estuda os compostos que apresentam carbono, é outra figurinha carimbada no ENEM. Quem não se recorda do famoso NanoKid, que deu as caras no ENEM 2017?

 

Pois é!

Para saber o que mais cai no ENEM em Química, aqui estudamos toooooodas as funções orgânicas: as oxigenadas como o álcool; aldeído; cetona; éter, ácido carboxílico, éster e sal orgânico, e também as nitrogenadas como amina, amida, nitrila e nitrocompostos. Não podemos esquecer das halogenadas, como os haletos de acila e alquila. Ufa, deu até falta de ar!

A identificação desses compostos é de suma importância, não apenas porque já vimos caindo pelos ENEM da vida questões onde era necessária não só a identificação, mas também indo além. Exemplo disso são os casos de isomeria, que envolvem os compostos de mesma fórmula molecular, mas que são distintos entre si. Essa parte da Química se divide em dois blocos: a isomeria plana (de função, cadeia, posição, tautomeria e metameria) e a isomeria espacial (que abrange a isomeria óptica e a geométrica).

Ainda nesse tema, não podemos deixar de fora assuntos como interações intermoleculares, nem propriedades físicas dos compostos orgânicos, tais como a solubilidade e pontos de fusão e ebulição.

Para finalizar, as reações orgânicas! Reações como a de esterificação (álcool + ácido carboxílico  éster + água), por exemplo, estão sempre aparecendo também. Mas não podemos esquecer das demais, né? Reações de adição, substituição e eliminação: check!

Por Que essa tal Química orgânica é tão importante?

Para dominar o que mais cai no ENEM em Química orgânica, você precisa saber que este assunto é o coração da Química. As questões de identificação de funções são muito comuns, então precisamos estar ambientados com as características de cada uma delas. Sabe aquele tipo de questão que não podemos deixar passar? É essa. Aquela que, dominando as funções, resolvemos em menos de 30 segundos! A parte de isomeria, principalmente a óptica, também tem aparecido bastante. Então a justificativa é: porque cai! Então, nós é que não vamos marcar bobeira e… partiu cair dentro das funções orgânicas, né?

O que cai no ENEM em Físico-Química: se a Química Orgânica é temida por alguns, a físico-química bate recordes e é temida por muitos que querem dominar o que mais cai no ENEM em Química! Esta parte abrange temas como soluções (as benditas unidades de concentração e as operações com soluções); a parte de equilíbrio químico (lembra dos fatores que alteram o equilíbrio de uma reação?); equilíbrio iônico, relacionado diretamente com pH; e a parte de eletroquímica, que se divide entre os processos espontâneo, das pilhas, e não espontâneos, da eletrólise. Esta última ainda se divide em eletrólise ígnea (material fundido) e aquosa (material em meio aquoso). Além disso, vemos também a Lei de Faraday, que estuda os aspectos quantitativos da eletrólise (aposto que você pensou logo nos 96.500 C, a carga que 1 mol de elétrons carrega!)

Por que essa parte da Química é tão importante

Essa parte da Química permite explorar bastante a contextualização, marca registrada do ENEM. A parte de soluções é facilmente relacionável com problemas estequiométricos, além de envolver também a montagem de reações químicas, como vimos lá em cima, na Química geral. É muito comum questões envolvendo soluções e concentrações de medicamentos, por exemplo. Questões envolvendo pH também estão sempre por aí, em problemas de correção de pH de solo, como solucionar problemas envolvendo derramamento de substâncias, etc. Já a eletroquímica… quem não se lembra daquela questão do ENEM 2017 que ocupava uma folha inteirinha, com diversos circuitos? Deus me defenderey.

Agora que nós dissecamos tuuuuudinho o que cai no ENEM em Química, vamos fazer uma listinha? Que tal identificar, dentro de todos os temas discutidos, aquilo que temos mais facilidade, que dominamos, daquilo que precisamos dar mais uma olhadinha. E não se esqueça que para Química, assim como para a maioria das Ciências Exatas e da Natureza… temos o nosso passo a passo: estudar o conteúdo, compreender, e… partir para os exercícios! Lembre-se: para nós, aqui na Química, a palavra-chave é exercitar.

Tudo bem? A gente se vê por aí!

Fuvest abre inscrições para o vestibular 2019

A Fuvest (Fundação Universitária para o Vestibular) abriu na última segunda-feira (13) as inscrições para o vestibular 2019. As inscrições devem ser feitas através do próprio site da Fuvest e serão encerradas às 12h do dia 14 de setembro.

O valor da taxa de inscrição será R$ 170, o mesmo cobrado ano passado. Os candidatos sem isenção terão até 18 de setembro para realizar o pagamento da taxa. A primeira fase vai acontecer em 25 de novembro, e a segunda será em dois dias, 6 e 7 de janeiro de 2019. Neste ano, a segunda fase contará com dois dias de provas, diferente dos anos anteriores que contavam com 3 dias.

Primeira fase Fuvest:

Segunda fase Fuvest:

Prova: 25 de novembro

Abertura dos portões: 12h30

Fechamento dos portões: 13h

Duração da prova: 5h

Conteúdo: 90 questões de múltipla escolha – Conhecimentos Gerais

Provas: 6 e 7 de janeiro

Abertura dos portões: 12h30

Fechamento dos portões: 13h

Duração das provas: 4h por dia

Conteúdo: Primeira prova – Português e Redação. Segunda prova – 12 questões de acordo com a carreira escolhida pelo candidato.

Para esse ano, a Fuvest solicitou a leitura obrigatória das seguinte obras:

Vidas Secas, de Graciliano Ramos; 

A Relíquia, de Eça de Queirós; 

Iracema, de José de Alencar; 

Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis; 

O Cortiço, de Aluísio de Azevedo; 

Sagarana, de João Guimarães Rosa;

Minha Vida de Menina, de Helena Morley; 

Claro Enigma, de Carlos Drummond de Andrade; 

Mayombe, de Pepetela.

Você aluno do ProEnem que também vai prestar o vestibular da Fuvest terá acesso a aulas especiais. O projeto incluirá aulas específicas com resoluções de questões de provas anteriores e será realizado através do nosso canal no YouTube. Fique ligado nas nossas redes para acompanhar quais serão as datas. Inscreva-se em nosso canal e fique por dentro de todas as novidades que estamos preparando para você, vestibulando. Enquanto isso, dê uma olhada nas aulas especiais que já fizemos:

Calendário FUVEST

13/8/2018 a 14/09/2018 – Prazo de inscrições

18/9/2018 – Último dia para o pagamento da taxa de inscrição

16/11/2018 – Divulgação dos locais de prova da primeira fase

25/11/2018 – Prova da primeira fase

10/12/2018 – Divulgação dos aprovados para a segunda fase

6/1/2019 – Prova de português e redação da segunda fase

7/1/2019 – Prova da segunda fase de disciplinas específicas da carreira escolhida pelo candidato

Para maiores informações, acesse o MANUAL DO CANDIDATO FUVEST.

Como estudar sozinho para o ENEM?

“Bateu insegurança, mas nunca pensei em desistir. Na minha cidade não tinha cursinho nem escola particular. Estudei dentro de casa e passei pra Medicina.”
Rafael Dias (Candidato do interior de Minas aprovado para Medicina na UFF – RJ)

Atualmente, a mídia tem buscado equiparar as possibilidades de aprovação no ENEM ao valor da mensalidade que o candidato paga no preparatório. A perspectiva vendida é a de que, quanto mais caro for o curso, mais perto da aprovação estará o aluno que quer ingressar no nível superior.

Essa tentativa, além de se tratar de uma proposição falsa, representa uma lógica que contribui para o agravamento das diferenças sociais em nosso país. Se fosse uma regra, quem tivesse condição de pagar uma boa faculdade particular arcaria com o curso mais caro e, consequentemente, estudaria na pública. Já os que não tivessem condição de bancar as custosas preparações, fatalmente, não passariam para o ensino federal ou estadual, e a eles restaria o ensino privado ou o não estudo. Será sempre assim?

Felizmente, o protagonismo de muitos jovens ao assumirem as rédeas de seus futuros vem tornando cada vez mais comum a aprovação dos ousados que escolhem a estratégia certa e estudam sozinhos. Mas o que é estudar sozinho para o ENEM?
Entende-se como “estudar sozinho” a prática de estudos não vinculada aos tradicionais cursos presenciais, cada vez mais caros, corridos e que demandam cada vez mais tempo de adaptação e deslocamento do jovem. Então, qual o principal aliado do jovem atualmente? Sim, internet.

5 Passos para estudar sozinho para o ENEM:

1 – Reserve tempo e espaço fixos para estudar em casa.

A rotina pode ser a chave para você evoluir mais rapidamente nos estudos. Seja fiel ao período reservado para aprender.

2 – Faça um plano de estudos ou busque um curso online que o apresente.

É muito importante ter uma previsão do que pretende estudar e dividir o conteúdo pelo tempo, até a data do ENEM.

3 – No ENEM, não use apenas as provas anteriores como base.

As bancas de elaboração têm mudado. Assim, busque não somente as últimas provas do ENEM como questões de outras bancas sobre o tema que está estudando.

4 – Cuidado com as pegadinhas da internet.

Escolha um canal, plataforma ou influenciador para seguir e invista em suas dicas.

5 – Busque alguém mais experiente para corrigir suas redações.

Redação corrigida e comentada de acordo com a banca é o segredo para realmente aprender a redigir de acordo com as exigências da banca. Só tome cuidado para não envolver alguém que entenda menos que você.

Redação corrigida e comentada de acordo com a banca é o segredo para realmente aprender a redigir de acordo com as exigências da banca. Só tome cuidado para não envolver alguém que entenda menos que você.

Preparação para o ENEM – Passado e Futuro

No passado, ainda que o estudante não pudesse se deslocar até um curso presencial, seria necessário seu deslocamento pelo menos até a biblioteca, no sentido de preparar-se para o grande desafio. Atualmente, livros, blogs, vlogs, videoaulas, apostilas, entre muitos outros recursos, estão disponíveis na internet, a um clique de quem quer saber mais, como nos mostra o depoimento dos aprovados. Mas qual é o grande segredo para estudar sozinho para o ENEM?

O estudante Rafael Dias, morador do interior de Minas Gerais, deparou-se com o desafio de não ter cursos preparatórios ou escolas particulares em sua cidade que, atualmente, conta com pouco mais de 12 mil habitantes. Onde encontrar mais informação do que ele já tinha em seu ensino regular na escola pública? A solução encontrada foi estudar sozinho pela internet; porém, com tanto conteúdo e informação falsa disponível na rede, o jovem precisou recorrer a um preparatório que lhe ajudasse com plano de estudos, simulados e interação, para que ele se mantivesse constantemente motivado. Foram só alguns meses de olho na telinha do computador e, aos 17 anos, o menino sonhador da chamada região da caratinga entrou pelas portas da frente da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Nota baixa no primeiro simulado

Quando se lembra do início da preparação e da nota baixa em seu primeiro simulado, Rafael aponta que o desafio foi controlar o desânimo:

Bateu insegurança, mas nunca pensei em desistir. Na minha cidade não tinha cursinho nem escola particular. Quem tinha condição social e estava disposto saía da minha cidade e ia estudar em preparatórios nas cidades vizinhas. Estudei dentro de casa e passei para Medicina.

Como é possível fazer uma boa redação para o ENEM?

Pode até parecer conto de fadas, mas histórias como a de Rafael vem se tornando cada vez mais comuns. A internet, que antes era vista apenas como meio de entretenimento por parte da sociedade, tornou-se atualmente a melhor amiga de quem está se preparando para ENEM.

Mas nem tudo são flores. Um outro desafio enfrentado pelo estudante foi a redação. Se o jovem estava estudando sozinho, como poderia receber o feedback sobre seus erros e desvios? Felizmente, ele descobriu que podia mandar seus textos para o ProEnem e que, além das correções corrigidas por competência, ele receberia com comentários nos erros para melhorar seu desempenho.

Minha primeira nota em redação na plataforma foi 520. Não desanimei. Estudei, fui melhorando e minha nota foi 880 no ENEM, conta Rafael.

numero-de-eleicoes

Número de eleitores por grau de instrução

Disponível em: https://www.eleicoesepolitica.net/numero-total-de-eleitores/ubaporanga-mg/

Estudar sozinho atualmente pode até parecer um desafio muito grande, ainda mais estudar sozinho para o ENEM, mas o fato é que, se bem usada representa um trunfo. Só para ter ideia do feito do rapaz, em sua cidade, o índice de eleitores com nível superior é de 1% contra 7% de analfabetos[1]. Nesse sentido, a internet pode não só colocar estudantes online e presenciais de diferentes regiões do país no mesmo nível, como fazer quem só estuda sozinho com seu computador disparar, conforme explica o Professor Romulo Bolivar:

No presencial, só podemos avançar com a matéria quando a maior parte da turma entende. Se um aluno específico traz alguma dúvida particular, é muito difícil parar para atendê-lo. Tentamos aproveitar intervalos ou momentos antes e depois da aula para auxiliá-lo ou indicar outras fontes de pesquisa. No online, é diferente. O conteúdo está disponível para ele avançar, ver e rever, de acordo com sua necessidade. Ele não se adapta ao ritmo de ensino, mas o ritmo se adapta a ele, conclui Romulo, que leciona Redação tanto em preparatórios presenciais quanto no ProEnem.

Independentemente do caminho que se segue, quando a aprovação chega, a reação é só de orgulho. Para quem quis estudar sozinho, a alegria não poderia ser diferente.

Minha mãe já saiu ligando para o meu pai e avisando a família inteira. Todos ficaram muito felizes, conta Rafael, já calouro da UFF.

professor-romulo
Professor Romulo Bolivar e o calouro em Medicina Rafael Dias

Algo fundamental a fazer é criar amizades, ainda que virtuais, com o mesmo propósito. Por isso, para quem pretende estudar sozinho e se tornar um candidato focado, é importante promover o contato com outros estudantes que possam compartilhar conteúdo, dicas e experiências de sucesso. O canal do ProEnem apresenta aulas ao vivo de segunda a sexta. Nos bate-papos durante as aulas, muitos alunos aproveitam para se organizar em grupos, comunidades e se ajudarem em suas jornadas de preparação. Aproveite!

Estude com a sua série favorita

Você já conhece o ProEnem Pop? Caso ainda não conheça, vamos lhe mostrar alguns videozinhos aqui! O ProEnem Pop é uma série de vídeos em que nossos professores relacionam filmes e séries com conteúdos cobrados na prova do Enem. Então dê uma olhada na listinha que fizemos para você começar a assistir:

La Casa de Papel: Economia, Política e Filosofia

O que Game of  Thrones pode nos ensinar sobre história?

Breaking Bad e a química no Enem

O Abutre: Indústria Cultural e Sociedade do Espetáculo

Vingadores: Guerra Infinita – Thanos X Thomas Malthus

É isso, galera! Aproveitem a nossa playlist do ProEnem Pop e assistam a seus filmes e séries favoritos com outros olhos, inscrevendo-se no nosso canal aqui: →  www.youtube.com/user/ProENEMOficial