Falta pouco para o ENEM. Deu até um arrepio na espinha, né? A tão esperada prova, a que nos dedicamos durante o ano inteiro se aproxima, e, em algum momento, você pode ter pensado: e a Química? O que cai no ENEM em Química? Olha, você que não me responda, lágrimas, hein?

E não, mesmo! Chegou a hora de falarmos um pouquinho sobre a prova de Química no ENEM, pensarmos em tudo que estudamos até aqui – a fim de identificarmos com que temos mais facilidade – e no que precisamos dar aquela boa e velha revisada.

Veja também, uma aula completa de sobre o que cai em Química no ENEM

Nesse artigo, vamos focar nos três grandes blocos que mais caem no ENEM: Química geral, Físico-química e Química orgânica. Vamos comigo?

As áreas da Química que mais dão as caras pelo ENEM:

O que cai no ENEM em Química Geral: essa belezura é a parte da Química em que estudamos as quatro principais funções inorgânicas, sendo elas os ácidos, as bases, os sais e os óxidos. Aqui, é interessante estar bem firme na nomenclatura, bem como na determinação de fórmulas. Mas atenção! Para isso, precisamos já estar dominando número de oxidação (conhecido pelos mais íntimos como nox).

Nesta parte da Química, estudamos também a estequiometria. Aposto que você gelou ao ler essa palavra, né? Mas esse tópico é de extrema importância para o ENEM. Passa ano, entra ano, lá está aquela questãozinha de estequiometria para contar história. A estequiometria é a parte da Química em que relacionamos as substâncias umas com as outras, a partir de suas reações químicas. Nela podemos relacionar massa, volume (dentro e fora das CNTP), quantidade de matéria (número de mol)… e também nos deparamos com questões envolvendo rendimento, pureza e reações consecutivas. Bem extenso, né? A notícia boa é que de um tema para outro, poucas coisas mudam e, na medida em que vamos estudando, nos sentimos mais confiantes. Acredite! Segue o passo a passo: montar a equação corretamente balanceada, identificar as substâncias envolvidas na questão e montar a regra de três! Não tem erro!

Para finalizar, temos outro tópico importante: separação de misturas. Lembra comigo: são os processos que permitem separar os componentes de soluções homogêneas (através de métodos físicos) e heterogêneas (através de métodos mecânicos)!

Por que estequiometria é tão importante?

É importante ser apto a determinar a fórmula das funções, pois em estequiometria é necessário, muitas vezes, montar reações químicas para solucionar o problema. E para montar essas reações, precisamos da fórmula correta das suas substâncias, não é mesmo? Além disso, óxidos como CO2, NO2, SO2 e SO3 são bastante recorrentes no que tange a discussão sobre os problemas ambientais, como os principais gases do efeito estufa, a acidificação dos oceanos, e a chuva ácida, que além de óxidos, ainda trabalha um pouquinho a parte de ácidos, bem como problemas decorrentes da mesma, como a acidificação do solo. Na parte de separação de misturas, é muito comum relacionar com fatos do nosso cotidiano. A água que utilizamos nas nossas casas, por exemplo, passa por um longo e complexo processo de separação de misturas.

O que cai no ENEM em Química Orgânica: amada por uns, odiada por outros, a Química orgânica, parte da Química que estuda os compostos que apresentam carbono, é outra figurinha carimbada no ENEM. Quem não se recorda do famoso NanoKid, que deu as caras no ENEM 2017?

 

Pois é!

Para saber o que mais cai no ENEM em Química, aqui estudamos toooooodas as funções orgânicas: as oxigenadas como o álcool; aldeído; cetona; éter, ácido carboxílico, éster e sal orgânico, e também as nitrogenadas como amina, amida, nitrila e nitrocompostos. Não podemos esquecer das halogenadas, como os haletos de acila e alquila. Ufa, deu até falta de ar!

A identificação desses compostos é de suma importância, não apenas porque já vimos caindo pelos ENEM da vida questões onde era necessária não só a identificação, mas também indo além. Exemplo disso são os casos de isomeria, que envolvem os compostos de mesma fórmula molecular, mas que são distintos entre si. Essa parte da Química se divide em dois blocos: a isomeria plana (de função, cadeia, posição, tautomeria e metameria) e a isomeria espacial (que abrange a isomeria óptica e a geométrica).

Ainda nesse tema, não podemos deixar de fora assuntos como interações intermoleculares, nem propriedades físicas dos compostos orgânicos, tais como a solubilidade e pontos de fusão e ebulição.

Para finalizar, as reações orgânicas! Reações como a de esterificação (álcool + ácido carboxílico  éster + água), por exemplo, estão sempre aparecendo também. Mas não podemos esquecer das demais, né? Reações de adição, substituição e eliminação: check!

Por Que essa tal Química orgânica é tão importante?

Para dominar o que mais cai no ENEM em Química orgânica, você precisa saber que este assunto é o coração da Química. As questões de identificação de funções são muito comuns, então precisamos estar ambientados com as características de cada uma delas. Sabe aquele tipo de questão que não podemos deixar passar? É essa. Aquela que, dominando as funções, resolvemos em menos de 30 segundos! A parte de isomeria, principalmente a óptica, também tem aparecido bastante. Então a justificativa é: porque cai! Então, nós é que não vamos marcar bobeira e… partiu cair dentro das funções orgânicas, né?

O que cai no ENEM em Físico-Química: se a Química Orgânica é temida por alguns, a físico-química bate recordes e é temida por muitos que querem dominar o que mais cai no ENEM em Química! Esta parte abrange temas como soluções (as benditas unidades de concentração e as operações com soluções); a parte de equilíbrio químico (lembra dos fatores que alteram o equilíbrio de uma reação?); equilíbrio iônico, relacionado diretamente com pH; e a parte de eletroquímica, que se divide entre os processos espontâneo, das pilhas, e não espontâneos, da eletrólise. Esta última ainda se divide em eletrólise ígnea (material fundido) e aquosa (material em meio aquoso). Além disso, vemos também a Lei de Faraday, que estuda os aspectos quantitativos da eletrólise (aposto que você pensou logo nos 96.500 C, a carga que 1 mol de elétrons carrega!)

Por que essa parte da Química é tão importante

Essa parte da Química permite explorar bastante a contextualização, marca registrada do ENEM. A parte de soluções é facilmente relacionável com problemas estequiométricos, além de envolver também a montagem de reações químicas, como vimos lá em cima, na Química geral. É muito comum questões envolvendo soluções e concentrações de medicamentos, por exemplo. Questões envolvendo pH também estão sempre por aí, em problemas de correção de pH de solo, como solucionar problemas envolvendo derramamento de substâncias, etc. Já a eletroquímica… quem não se lembra daquela questão do ENEM 2017 que ocupava uma folha inteirinha, com diversos circuitos? Deus me defenderey.

Agora que nós dissecamos tuuuuudinho o que cai no ENEM em Química, vamos fazer uma listinha? Que tal identificar, dentro de todos os temas discutidos, aquilo que temos mais facilidade, que dominamos, daquilo que precisamos dar mais uma olhadinha. E não se esqueça que para Química, assim como para a maioria das Ciências Exatas e da Natureza… temos o nosso passo a passo: estudar o conteúdo, compreender, e… partir para os exercícios! Lembre-se: para nós, aqui na Química, a palavra-chave é exercitar.

Tudo bem? A gente se vê por aí!

Recommended Posts

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *