BIOMAS – TIPO PRINCIPAIS

Aprenda sobre os Tipos de Vegetação e os Principais Biomas do Mundo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

TIPOS DE VEGETAÇÃO

Perenes: As plantas perenes são aquelas que não perdem suas folhas durante o ano. Valeriana, hibisco e azinheira são exemplos deste tipo de planta.

Caducifólias: São plantas que perdem as folhas durante o inverno ou épocas de pouca pluviosidade (chuvas). A perda das folhas é um recurso natural destes vegetais para preservar a umidade durante épocas em que as chuvas são escassas.

Didática imbatível de nossos professores!

ProBlack

14 meses de acesso

  • Turma Extensiva 2020/2021
  • 6 Simulados
  • 4 Redações Corrigidas por mês

R$ 599,44

12x de: R$

R$ 19,90

Eu quero

Xerófilas: São plantas que se desenvolvem em locais de clima árido. Um bom exemplo deste tipo de vegetal são os cactos.

Esclerófilas: São plantas que apresentam folhas de consistência dura. Exemplo são os fynbos, formação vegetal muito presente no sul da África.

Higrófilas: São plantas adaptadas a regiões com presença de muita umidade, ou seja, com elevado índice de pluviosidade. Grande parte destas plantas são perenes. Algumas espécies vivem até mesmo debaixo da água. Exemplo: Hygrophila corimbosa (higrófila gigante) que é muito usada na decoração interna de aquários de grande porte.

Tropófilas: São plantas adaptadas a uma estação úmida e outra seca.

Aciculifoliadas: São plantas que apresentam folhas em formato de agulha. São mais comuns em regiões de clima frio. Exemplo: pinheiros.

Latifoliadas: São plantas com folhas largas, típicas de regiões de clima tropical úmido e equatorial. A largura das folhas permite uma intensa transpiração. Exemplo: seringueira (muito comum na Floresta Amazônica).

PRINCIPAIS BIOMAS DO MUNDO

Tundra: Localiza-se no extremo norte e sul da Terra, sendo muito encontrada no norte do Canadá, da Europa e da Ásia e nas partes descongeladas da Antártica. Por estar localizada nas zonas polares, apresenta as temperaturas mais baixas do planeta, pouca pluviosidade e dias e noites com longa duração, dependendo da estação estudada (no inverno, as noites são mais longas; e no verão, o dia possui uma maior duração). Como na maior parte do tempo o solo é recoberto por gelo, a vegetação é escassa, composta principalmente por musgos e líquens, que brotam no verão e praticamente desaparecem no inverno. A fauna é composta por animais adaptados ao frio, como os ursos-polares (no Ártico), pinguins (na Antártica) ou animais que migram para essa região atraídos por sua escassa vegetação no verão.

Taiga: Localiza-se em latitudes elevadas, ao sul das áreas de Tundra, e ocorre na maior parte do território canadense, no norte da Europa e da Rússia. A vegetação é pouco diversificada, sendo composta principalmente por coníferas, que possuem folhas em forma de agulhas (aciculares) recobertas por uma cera que conserva a umidade e o calor, evitando, assim, o seu congelamento no inverno. A fauna é composta por diversas espécies de insetos, aves, renas, alces, veados, ursos, raposas e morcegos.

Floresta Temperada: Origina-se nas zonas temperadas, principalmente nos países da América do Norte, Europa e em alguns países da Ásia. Em virtude da existência das quatro estações do ano bastante definidas, a vegetação é abundante e diversificada, possuindo espécies de diversos tamanhos, cascas grossas e folhas largas que caem durante o outono e brotam na primavera.

Floresta Equatorial: Localizada em zonas tropicais bem próximas à linha do equador, com clima muito úmido e quente e pouca amplitude térmica. A vegetação é densa (apresenta árvores de grande, médio e pequeno porte), latifoliada (com folhas largas e grandes), perene (as folhas não caem no outono) e, em muitos casos, adaptada à umidade (hidrófila). Apresenta uma das maiores biodiversidades de animais, plantas e insetos do mundo.

Floresta Tropical: Localizada em áreas de clima tropical, principalmente próximas do litoral, possui características semelhantes às da floresta equatorial. Recebe muita umidade e possui uma vegetação densa, com vários extratos (tamanhos diferentes) e muita biodiversidade. O exemplo de floresta tropical brasileira é a Mata Atlântica, que já foi praticamente toda devastada pela atividade humana.

Savanas: Localizam-se entre as áreas de florestas tropicais e regiões de climas áridos ou semiáridos, nas zonas tropicais, havendo predominância de uma estação úmida (verão) e outra seca (inverno). Em razão da alternância entre estações secas e úmidas, a vegetação nas savanas é constituída, principalmente, por arbustos e árvores de médio e pequeno porte com raízes profundas, folhas grossas e troncos retorcidos. A fauna das savanas é muito diversificada, com a presença de diversas espécies de grandes mamíferos, herbívoros, insetos e aves.

Campos: Muito comuns em área de clima subtropical e de relevos em que predominam as planícies. São muito encontrados nos Estados Unidos, no sul do Brasil e em algumas regiões da Ásia. Em virtude da irregularidade das chuvas, esse bioma possui poucas, ou nenhuma, espécies herbáceas e arbóreas, sendo constituído principalmente por gramíneas e outras plantas que se adaptam a esse tipo de clima. A fauna dessa região não é tão diversificada. Nos campos norte-americanos, encontram-se espécies de antílopes, bisões, roedores, muitos insetos, gaviões e corujas. No Brasil, os pampas abrigam vários animais, como as garças, marrecos, veados, lontras e capivaras.

Desertos: Localizam-se em áreas de clima árido ou desértico, com pouca umidade e chuvas irregulares, solos arenosos e uma escassa vegetação, que está adaptada à baixa umidade (xerófilas). A fauna dessa região também está adaptada à pouca umidade, com predomínio de espécies de répteis (lagartos, cobras etc.), insetos, camelos (presentes na Ásia, África e Oceania) e outros. Os principais desertos do mundo são: o deserto do Saara, o deserto do Kalahari, o deserto de Gobi e o grande deserto australiano.

Com a alteração provocada pelo desenvolvimento das atividades humanas, a maioria dos biomas do planeta Terra encontra-se ameaçado de extinção. A destruição parcial dos biomas pode comprometer o equilíbrio ecológico dos ecossistemas que os compõem, provocando a destruição de habitat e a extinção de animais e plantas. Assim, é essencial que o ser humano procure promover um desenvolvimento sustentável de suas atividades para não comprometer a existência das várias espécies de plantas e animais que habitam os diversos biomas mundiais e que são essenciais para o desenvolvimento da vida humana no planeta.

CADASTRE-SE

E receba em primeira-mão todas as novidades dos Vestibulares, Ofertas, Promoções e mais!