LEI DE CLAPEYRON

Aprenda sobre Equação de Clapeyron e Mistura de Gases Perfeitos.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

 

EQUAÇÃO DE CLAPEYRON

No módulo anterior estudamos as transformações gasosas nas quais a massa do gás (número de mols) se mantinha constante. Coube a Clapeyron desenvolver uma equação aplicável às situações nas quais a massa do gás varia.

Didática imbatível de nossos professores!

ProBlack

14 meses de acesso

  • Turma Extensiva 2020/2021
  • 6 Simulados
  • 4 Redações Corrigidas por mês

R$ 599,44

12x de: R$

R$ 19,90

Eu quero

Seu raciocínio foi simples.

Pela equação geral dos gases:  

 (k constante que depende do gás com que se trabalha).

Estudando várias situações ele pode substituir a constante k pelo produto do número de mols do gás (n) vezes uma nova constante (R) só que esta constante se aplica a todos os gases, daí ela ficar conhecida como Constante Universal dos Gases. E onde aparece a massa?

Lembre-se da Química que:

A equação de Clapeyron ficou conhecida escrita assim:

Quanto ao valor de R, o mais usual não é com as unidades do SI:

Em unidades SI:

 

Mas não se preocupe, pois em todos os vestibulares, se for preciso usar qualquer um dos valores, estes serão informados.

 

MISTURA DE GASES PERFEITOS

Considere dois recipientes separados por uma válvula. O primeiro recipiente possui volume V1 e número de mols igual a n1, o segundo recipiente possui volume V2 e n2 mols. Ao abrirmos a válvula, ocorrerá uma mistura dos dois gases, sendo que o número de mols final será a soma do número de mols em cada recipiente:

Pela equação de Clapeyron:

  

Como: n = n1 + n2

Como R é o termo comum, pode ser eliminado:

As condições finais da mistura é a soma das condições dos gases componentes.

CADASTRE-SE

E receba em primeira-mão todas as novidades dos Vestibulares, Ofertas, Promoções e mais!