10 dicas para interpretar os textos no ENEM

No ENEM, nem sempre é necessário ler o texto, se você já tem alguma base teórica sobre a estrutura do texto ou sobre o tema envolvido. Nesse sentido, convém analisar primeiro o comando e, caso a resposta seja óbvia, já poderá ser marcada. Em caso de dúvida, leia e releia o texto. Quanto mais questões resolvidas sobre o mesmo assunto, mais simples fica a identificação da alternativa correta. Por isso, a prática constante é tão importante.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Identifique a teoria por trás de cada questão.

Muitas questões que parecem se referir a “objetivo do texto” ou “objetivo do autor do texto” na verdade querem saber sobre função textual, tipologia textual, escola literária, características dos gêneros do discurso etc. Por isso, ao dominar conteúdos interpretativos como esses, a interpretação fica muito mais rápida e fácil na hora da prova. Lembre-se que existem modelos de questão e modelos de prova, logo se você dominar esses modelos, será mais fácil acertar com mais rapidez e segurança.

Identifique as alternativas que representam a mesma resposta e elimine-as.

Na hora da prova, muitas questões costumam apresentar como alternativas respostas que remetem a um mesmo conceito, ou seja, se uma estiver opção estiver certa, a outra também teria de estar. Isso faz com que essas alternativas sejam excludentes entre si, pois a validação de uma ou outra naturalmente anularia a questão. As respostas corretas são únicas e não podem ter sinônimos ou equivalentes em outras opções.

Nas questões com textos não verbais, procure relacionar a resposta a cada detalhe da imagem.

Na maioria das questões que envolvem texto verbal (palavras) e não verbal (imagens), os alunos costumam ter dificuldade, pois acham que a respostas só pode estar nas palavras, o que representa um engano. Uma mesma frase, dependendo da imagem, pode ser uma declaração sincera ou uma ironia, um elogio ou um deboche, por exemplo. Portanto, muitas vezes, a charge, a caricatura, as expressões do personagem ou os detalhes de um cartaz podem contribuir mais para a localização da resposta certa do que o que se lê nas frases materializadas no texto.

Em questões que envolvem texto literário, procure ter sempre em mente a escola a que pertence a obra ou o autor.

A poesia e a prosa quando caem numa questão do ENEM, em geral, reforçam marcas comuns de determinados períodos da literatura brasileira. Portanto, se você conhece as características do Romantismo, por exemplo, ao se deparar com um poema dessa fase, já será possível inferir determinados objetivos, intenções, sentimentos ou critérios na escolha de determinados recursos expressivos.

Em questões de texto jornalístico ou publicitário, tenha atenção às características do gênero.

Os gêneros textuais, de modo geral, apresentam características particulares relacionadas ao objetivo comunicativo de cada um. O tipo de linguagem, o vocabulário, a maior ou menor subjetividade, a ideia de interlocutor, o tamanho do texto, tudo isso configura as mensagens e costuma aparecer em forma de pergunta na prova. Por exemplo, qual o objetivo de se usar uma linguagem mais simples e objetiva num texto jornalístico? Atingir um maior número de interlocutores.  Qual o objetivo de se usar humor numa propaganda? Persuadir determinado público a comprar determinado produto. Ou seja, cada gênero costuma já apresentar suas respostas específicas de acordo com a pergunta que é feita ao candidato na hora do exame.

Em questões sobre linguagem corporal, atenção às características da imagem e do esporte.

O ENEM cobra questões de linguagem corporal, ou seja, suas aulas de Educação Física são importantíssimas para ajudar a resolver essas questões. Muitas dessas perguntas costumam requerer mais do seu conhecimento sobre determinados esportes, posições e movimentos do que a própria interpretação do texto. É comum questões perguntando sobre a quantidade de jogadores em certo esporte, sobre o que está acontecendo na imagem de uma quadra, sobre a representação de uma dança, sobre movimentos de alongamento entre outros.

Em questões sobre tecnologia da informação, muita atenção às características dos suportes envolvidos.

Outro item importante presente nos editais do ENEM é a cobrança do conhecimento sobre a tecnologia da informação. Mas o que isso significa? Você vai interpretar textos sobre os recursos que a humanidade em utilizado para se comunicar em nossa cultura. Telegrama, carta, Twitter, Facebook, Direct… tudo pode se transformar em questão e você precisa estar preparado para reconhecer semelhanças e diferenças entre essas tecnologias. Em que o telegrama do passado se assemelha ao nosso Twitter, por exemplo? O tipo de linguagem direta e com um mínimo de caracteres. Em que se difere um Facebook com sua linha do tempo e um diário? O objetivo de registros coletivos ou privados. Enfim, tais questões não costumam apresentar alto grau de dificuldade, porém assustam os candidatos que não esperam curiosidades como essas em suas provas.

Resolva o máximo possível de questões e justifique as alternativas erradas.

Estudar anotando é o melhor caminho para a maioria dos candidatos. Como o modelo de questão estabelecido pelo INEP não manda o candidato assinalar a alternativa ERRADA – só se pode perguntar pela opção correta – muitos candidatos se habituaram a só anotar ou compreender a justificativa da certa, quando na verdade justificar a razão de as outras opções estarem erradas é tão importante quanto. Portanto, a melhor maneira de se estudar interpretação para superar grandes dificuldades é se perguntar “Por que sim?” e “Por que não?” e anotar ou destacar em cada opção a razão de sua classificação como certa ou errada, adequada ou inadequada.

Não desanime com os erros no começo. Refaça, entenda e vença.

Interpretação é relevante não só para as provas de humanas, mas para todas as áreas de conhecimento cobradas na prova do ENEM. Desse modo, só é possível realizar uma boa prova, interpretando bem. E cada banca tem seu estilo de criar suas questões de interpretação. Por isso, não basta estudar o conteúdo das matérias apenas. Você precisa, na verdade, praticar o máximo de questões em cada área. Muitas vezes, você vai perceber que pode errar uma questão mesmo dominando seu conteúdo, o que ocorre pois o problema não está na teoria do assunto, mas na sua prática de resolução. Nesse sentido, é muito importante, resolver muita questão e  não desanimar com os erros. Errar é natural e faz parte do processo de aprendizagem, portanto valorize seus acerto e use suas respostas erradas como roteiro para avaliar-se, traçar estratégias para melhoria e maior capacitação.

CADASTRE-SE

E receba em primeira-mão todas as novidades dos Vestibulares, Ofertas, Promoções e mais!