COMPETÊNCIA 1 – CRASE

Aprenda sobre Crases, os Casos em que pode ocorrer a Crase e alguns Casos Particulares.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

CRASE

Do grego krâsis (mistura, fusão). Em gramática normativa, significa a contração ou fusão de duas vogais em uma só (aa > à). Esse fenômeno é indicado pelo acento grave. Formulário Ortográfico (título XII, nº 43, 16ª regra).

A crase vai ocorrer quando houver a fusão da preposição “a” com:

Didática imbatível de nossos professores!

ProBlack

14 meses de acesso

  • Turma Extensiva 2020/2021
  • 6 Simulados
  • 4 Redações Corrigidas por mês

R$ 599,44

12x de: R$

R$ 19,90

Eu quero

I. o artigo feminino “a” ou “as”;

II. o pronome demonstrativo “a” ou “as”;

III. os pronomes demonstrativos “aquilo”, “aquele” e flexões.

CASOS EM QUE PODE OCORRER CRASE

I. Antes de palavras femininas, claras ou subentendidas Dirijamse à secretaria. Usava bigodes à Salvador Dali. (à moda de)

Método prático:

Substituir a palavra ferninina por masculina e observar a conseqüência (a > ao = à).

O orador aspirava a(?) fama.

O orador aspirava ao sucesso.

O orador aspirava à fama.

Os críticos elogiaram as(?) poesias.

Os críticos elogiaram os poemas.

Os críticos elogiaram as poesias.

II. Antes dos pronomes relativos que, a qual e as quais

Dirigiuse à que estava ao seu lado.

As pessoas às quais aludimos moram no Sul.

Método prático:

Substituir o antecedente por palavra masculina e observar a conseqüênci

(a > ao > à).

Esta caneta é igual a(?) que perdi.

Este livro é igual ao que perdi.

Esta caneta é igual à que perdi.

Vi a peça a(?) que te referes.

Vi o filme a que te referes.

Via a peça a que te referes.

A glória a(?) qual aspirei, era efêmera.

O êxito ao qual aspirei, era efêmero.

A glória à qual aspirei…

III. Com os pronomes demonstrativos aquilo, aquele (e flexões)

Não chegarás àquele patamar.

Sempre visou àquilo mesmo.

Método prático:

Substituir os pronomes, respectivamente, por “isto” ou “este”, observando a presença ou não da preposição.

aquilo > isto = aquilo

aquele > este = aquele

aquilo > a isto = àquilo

aquele > a este = àquele

O povo não obedecia aquelas(?) leis.

O povo não obedecia a estas leis.

O povo não obedecia àquelas leis.

Ninguém aceitou aquilo(?).

Ninguém aceitou isto.

Ninguém aceitou aquilo.

IV. Crase antes de nomes de lugares

Só haverá crase com nomes determinados pelo artigo a.

Quando formos à Bahia. (determinado por artigo) Quando formos a Belém. (não é determinado por artigo)

Método prático para saber se há artigo.

“Versinho da Tia Júlia”:

Se estou na ou volto da, pode haver crase no a;

Se estou em ou volto de, crase pra quê?

Os turistas dirigiam-se a (?) Califórnia

prep. a + art. a (Estou na Califórnia)

Os turistas dirigiam-se à Califórnia.

Observe, ainda;

Se, quando venho, venho DA,

quando vou, ponho crase no A.

Se, quando venho, venho DE,

Pôr a crase no A pra quê?

Venho de Roma.   Vou a Roma.

Venho da Argentina.   Vou à Argentina.

OBSERVAÇÃO

Nomes de lugares determinados por adjetivos, locuções adjetivas e alguns pronomes sempre serão determinados por artigo.

Ainda voltarei à Roma eterna.

CASOS PARTICULARES

1. Com a palavra “casa”

A) Significando lar (nossa própria casa). Aparece sozinha, isto é, sem adjetivos, pronomes ou locuções. Nesse caso, não há crase porque não há artigo.

Ao chegarmos a casa, já era noite alta.

B) Indicando ser a casa de outrem ou estabelecimento comercial, aparece acompanhada de adjetivos, pronomes ou locuções. Nesse caso, pode haver crase: há artigo, mas depende de preposição.

Falta pouco para chegarmos à casa dos noivos. (chegar a)

Todos querem comprar a casa própria. (comprar  v.t.d.)

2. Com a palavra “terra”

Significando terra firme (o oposto de mar, água, bordo), aparece sem adjetivos, pronomes ou locuções. Nesse caso, não há crase porque não artigo. Os turistas foram a terra comprar flores.

Significando lugar (cidade, estado, país), aparece com adjetivos, pronomes ou locuções. Nesse caso, pode haver crase: há artigo, mas depende de preposição.

Os marujos retornaram à terra dos piratas. (retornar a) Gostaria de conhecer a terra de meus antepassados. (conhecer  v.t.d.)

3. Com a palavra “distância”

A única locução adverbial formada com palavra feminina em que não ocorre crase é “a distância”; entretanto, se estiver determinada, teremos locução prepositiva, acentuada: “à distância de”.

O povo ficou a distância do congresso.

O povo ficou à distância de cem metros do incêndio.

4. Crase facultativa

A) Antes de nomes personativos femininos

Os diretores dirigiram elogios a (à) Maria Helena.

Se fosse um nome personativo masculino:

Os diretores dirigiram elogios a (ao) Paulo Miguel.

Como se vê o uso do artigo é fàcultativo.

OBSERVAÇÃO

Vindo o nome determinado como de pessoa amiga, parente, a crase não mais será facultativa, porque nesse caso o uso do artigo se fará mister.

Os diretores dirigiram elogios à Maria Helena, minha irmã.

B) Antes de pronomes possessivos adjetivos (no singular)

Antes de tudo viso a (à) minha salvação. Se fosse um pronome masculino:

“Antes de tudo viso a (ao) meu bem-estar.”, também o uso do artigo é facultativo.

OBSERVAÇÃO

Em se tratando de pronome substantivo (e havendo a preposição) a crase será de rigor. Viso a (à) minha salvação e não à tua.

C) Depois da preposição “até”

Esta alameda vai até a (à),fàzenda do meu pai. Se houvesse um nome masculino:

“Esta alameda vai até o (ao) sítio do meu pai.”, podese inferir que é facultativa a combinação das preposições até e a para ressaltar a idéia de limite ou exclusão.

5. Crase nas locuções formadas com palavras femininas

Acentuase o a das locuções adverbiais, prepositivas e conjuntivas, formadas com palavras femininas.

Locuções adverbiais

À primeira vista, o trabalho pareceunos bem simples.

Sempre estudei à noite e nem por isso fiquei obscuro.

Locuções prepositivas

Quem vive à espera de facilidades, encontra falsidades.

Triunfaremos à custa de nossos méritos.

Locuções conjuntivas

O flagelo aumentava à medida que as chuvas continuavam.

À proporção que subíamos, o ar tornavase mais leve.

OBSERVAÇÕES

  1. Segundo alguns dos principais autores, às vezes, o acento grave no “a” (à) representa a pura preposição que rege substantivo feminino, formando locução adverbial. Se tal procedimento não fosse adotado, teríamos, então, muitas frases ambíguas.

O rapaz cheirava a bebida. (aspirava o cheiro da bebida)

O rapaz cheirava à bebida. (exalava o cheiro da bebida)

  1. Em relação à crase nas locuções adverbiais, há certa divergência entre alguns gramáticos; porém há consenso nos casos em que possa haver ambigüidade:

Fique a vontade na sala. (Sujeito ou adj. adv.modo?)

CADASTRE-SE

E receba em primeira-mão todas as novidades dos Vestibulares, Ofertas, Promoções e mais!